Rock in Rio 2013: Dias que não deixaremos para trás - Parte 2

, , No Comments

Plínio Barboza (@Plinio_Barboza), do Rio de Janeiro




Bem amigos, lá fomos nós para meu segundo dia de Rock In Rio, o dia 19 de setembro: um dia no qual, tirando as atrações do Palco Mundo, eu quase nada sabia das do Palco Sunset, que teve shows épicos! Vamos a eles:

Dr. Sin

Dr. Sin + República + Roy Z: o Dr. Sin eu já tinha ouvido uma mísera música (que eles não tocaram); República e Roy Z eu nunca tinha visto. Foi um show de rock de macho, daqueles pra beber e brigar (no bom sentido), guitarras pesadas, coisa linda! Bateção de cabeça das boas.


Almah + Hibria: a única coisa que eu sabia sobre esse show é que o Almah é a banda do Edu Falaschi, que já foi vocalista do Angra. Confesso que fui com um pé atrás achando que seria mais um show de Metal Melódico... Ainda bem que eu estava errado! Apesar de a voz do Edu não ser mais a mesma, foi um showzaço! Com direito a Edu cantando um trecho de Saint Seya e as bandas encerrando o show tocando Rock And Roll do Led Zeppelin. Em tempo: durante esse show aconteceu algo épico (pra mim): Fred, baterista dos Raimundos estava no meio da galera, tirou foto e tudo. :-)

Sebastian Bach

Sebastian Bach: ex-vocalista do Skid Row, banda sobre a qual conheço pouca coisa, fez um dos melhores shows do Sunset. Tocou clássicos, com direito ao momento mais rock and roll do festival: a clássica levantada de blusa feminina mostrando os seios (ok, soou machista).



Rob Zombie: melhor show do Sunset no dia 19, sou fã dele como roqueiro. Nunca vi os filmes deles, mas o cara faz um show performático cheio de telões e com direito às músicas mais conhecidas dele, que fazem parte da trilha de Missão Impossível 2 e Matrix, e contou com a ajuda do público, que animou junto. Pena não ter chegado mais perto porque já estava na pilha do show do Ghost no Palco Mundo.



E lá vou eu correndo pro Palco Mundo, porque começou o show dos fogos de artifício indicando que os shows lá iriam começar!


Sepultura e Tambours du Bronx

Sepultura e Tambours du Bronx: depois do show do Ghost esse era o que mais queria ver. Em 2011 Medina cometeu uma injustiça botando esse show no Palco Sunset! Esse ano os deuses do rock iluminaram os Medinas, que ouviram o clamor das redes sociais e botaram lá pro Palco Mundo. Amigos, que show! Que lindeza! Todos sabem que o forte do Sepultura é a bateria e junto com os malucos franceses do Tambours, fez tremer a Cidade do Rock! O som estava alto (como tem que ser) e a porrada foi segura, Refuse/Resist, Firestarter (cover do Prodigy) e Kaioas (que abriu o show) encheram meus olhos de lágrimas! Ficarei velho e contarei pros meus filhos e netos sobre esse show e olha que só comecei a ouvir Sepultura após o álbum Roots.



Ghost: esse era o show que eu tava mais curioso pra ver. Sim, os caras são satanistas ninguém sabe quem eles são mas, fazem um som muito bom! O show na verdade é uma missa satanista conduzida por Papa Emmeritus com auxílio de seus Ghuls e foi todo baseado no Infestissorium, o disco mais novo (ou talvez único, não sei ao certo) da banda e tocaram Year Zero, Secular Haze...pra mim foi o show mais incrível (lógico que depois do Metallica), e foi curioso ver famílias, sim famílias, curtindo Ghost! Antes que me acusem de qualquer coisa, não sou adorador de satã e tenho idade e discernimento suficiente pra saber que aquilo tudo é só teatro.

Metallica


Alice In Chains: mais uma banda clássica da noite que curto muito, mas só lembrava de Would e Man In The Box. O show foi pesado e com o vocalista novo interagindo bem com a plateia e foi até animado... Sim, pela pegada grunge da banda achei que ia ser um show paradão (ainda bem que me enganei), sai de lá prometendo a mim mesmo baixar a discografia do Alice In Chains.



Metallica: ah, amigos! Em 2011 não vi o show, mas em 2013 foi lindo de ver! One, Master Of Puppets, etc. e tal! Lágrimas durante todo o show, só quem estava lá pôde sentir a vibe! Sim, recomendo antes de vocês morrerem irem a um Rock In Rio e a um show do Metallica. Não precisa falar mais nada. Foi sensacional!