Os Vingadores - The Avengers

, , 2 comments
Ao final da sessão de Os Vingadores (The Avengers, EUA, 2012), a sensação que a gente tem é a de "UAU!". Trata-se de um sentimento que se tem depois de um momento agradável de diversão nerd. Mas nesse caso, isso vai além. Afinal de contas, o filme é o ápice do plano de dominação mundial da Marvel, com a reunião de todos aqueles personagens apresentados em filmes-solo desde Homem de Ferro, de 2008, passando por O Incrível Hulk, Homem de Ferro 2, Thor e Capitão América. Todos os elementos lançados nestes filmes podem ser sentidos e vistos aqui. Logo, Os Vingadores é o mar para onde todos os rios anteriores correram.
Dirigido por Joss Whedon (criador de Buffy - A Caça-Vampiros), o filme consegue provar que não é preciso destacar um personagem em especial para que o roteiro de uma super-equipe seja bem-sucedido. Diferente de X-Men, onde o destaque é quase inteiramente para Wolverine, em Os Vingadores a importância está no trabalho em equipe. Todos os heróis têm o seu momento. Fruto da habilidade de Whedon em trabalhar com múltiplos personagens. Foi assim nas séries criadas por ele e em seu único filme para cinema, Serenity (2005), uma adaptação de sua série Firefly.
Mas não foi apenas a carreira no cinema e na TV que deu a Whedon as credenciais para ser o maestro desta ópera gigantesca super-heroica. Sua experiência como escritor de quadrinhos deu aos fãs a tranquilidade de que os "maiores heróis da terra" estariam em boas mãos. São dele alguns dos melhores arcos dos X-Men em todos os tempos, na série Surpreendentes X-Men.
Logo, um filme dessas proporções não poderia estar em mãos melhores. Na trama, o meio-irmão de Thor, Loki (Tom Hiddleston, ótimo), alia-se a uma raça alienígena também conhecida como Chitauri para conquistar a Terra. Para isso, ele pretende se apoderar do Tesseract, um cubo cósmico que já havia aparecido em Thor e Capitão América. A energia do cubo é suficiente para abrir um portal e permitir a invasão alienígena. Claro que para impedir que tal plano se concretize, Nick Fury irá reunir todos aqueles heróis que nós já conhecemos. Mas isso não acontecerá sem alguma relutância, claro, como nas melhores histórias de supergrupos que já lemos nos quadrinhos. No começo, eles não se bicam, têm umas briguinhas - nesse caso, uma brigona - mas no final aprendem que precisam trabalhar em conjunto para derrotar ameaças gigantescas.
As cenas espetaculares se sucedem aos montes, entremeadas com diálogos espertos e momentos cômicos capazes de fazer toda a plateia explodir em gargalhadas durante a sessão. O 3D (meu primeiro filme nessa tecnologia!) parece bem feito, apesar de alguns momentos em que a imagem parece um pouco embaçada. Detalhes técnicos à parte, Os Vingadores é pura diversão. Ou melhor: superdiversão!

The Avengers - Os Vingadores (2012) on IMDb